Receba atualizações de notícias ao minuto sobre os temas mais quentes com a NewsHub. Instale já.

Câmara de Vila Real alerta utentes para os perigos da A24

22 de Outubro de 2018 16:46
39 0

Autarquia exige que Governo reponha as condições de segurança, nomeadamente a iluminação nos nós.

A Câmara de Vila Real colocou nesta segunda-feira outdoors junto à auto-estrada 24 (A24) para alertar que é uma das vias "mais caras do país" mas que não tem "iluminação nos nós de acesso" nem "apoio nocturno".

"Este cartaz significa indignação, significa informação e, uma vez mais, uma chamada de atenção para o Governo", afirmou, em conferência de imprensa, o presidente da autarquia, o socialista Rui Santos.

Junto ao nó de acesso à A24, na zona industrial de Vila Real, foi colocado um painel de grandes dimensões onde se pode ler: "Não aceitamos estradas de segunda! Das mais caras do país, nós de acesso não iluminados, sem apoio nocturno, limpa neves insuficientes".

No cartaz preto, com letras amarelas e o sinal de perigo desenhado, pode ainda ler-se "Vila Real também é Portugal". Durante a tarde foi colocado um outro painel, visível para quem circula na A24, na área deste concelho.

"No interior pagamos o quilómetro mais caro de Portugal pelo uso de auto-estradas", afirmou Rui Santos.

Segundo o autarca, no âmbito da renegociação, em 2015, entre o Governo PSD/CDS-PP e a concessionária da A24, "foi desligada a iluminação dos nós de acesso das localidades, foram reduzidos os limpa-neves para metade e os carros de assistência, durante a noite, passaram a funcionar apenas à chamada".

"Não vale a pena dizerem que a segurança é igual independentemente dos nós de acesso estarem ou não estarem iluminados, porque se é igual porque cortam aqui e não cortam nos outros lados?" questionou.

Segundo o autarca, em 2015 foram também desligados os "painéis informativos na A24, que serviram para que os condutores se orientassem em caso de acidente e em função das condições meteorológicas, e foram desactivados alguns postos de SOS".

Passaram três anos e, segundo Rui Santos, "o Governo nada resolveu", apesar da "insistência da câmara municipal".

Desde Novembro de 2015 que o município tem mostrado a sua indignação e, junto do Governo PS, tem reivindicado também a "reposição das condições de segurança".

Rui Santos disse estar "cansado de esperar" e justificou o timing para o lançamento da campanha com a aproximação de mais um Inverno, que na região pode significar neve e nevoeiro denso que podem afectar a circulação na auto-estrada, e com a discussão do Orçamento do Estado (OE) para 2019.

"Continuarei a insistir junto do Governo para que isto seja resolvido e espero que o PCP, o BE e também o PSD e o CDS, em sede de OE, porque é agora que o estão a discutir, possam tratar deste assunto", referiu.

Esta campanha de alerta partiu da Câmara de Vila Real e foi apoiada pela Comunidade Intermunicipal do Douro (CIM Douro), que agrega 19 municípios.

"Aquilo que a CIM Douro aprovou foi que cada um dos municípios colocaria um ou mais cartazes. Tenho a expectativa que os outros municípios façam exactamente a mesma coisa, porque é uma questão de justiça, de coerência e, sobretudo de segurança, repito, de segurança", salientou.

O Ministério do Planeamento e das Infra-estruturas e a Infra-estruturas de Portugal (IP) remeteram uma reacção para o Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT), que deverá dar uma resposta sobre este assunto ainda durante esta tarde.

Fonte: publico.pt

Partilhe nas redes sociais:

Comentários - 0