Receba atualizações de notícias ao minuto sobre os temas mais quentes com a NewsHub. Instale já.

Clássico para quebrar o enguiço ou para voltar a usar o salão de festas

7 de Outubro de 2018 14:51
18 0

F. C. Porto é a equipa que mais ganha ao Benfica em jogos na Luz. Rui Vitória não bate os dragões desde que treina a equipa lisboeta.

Nunca é tarde nem é cedo para vencer um clássico e, apesar de o Benfica-F. C. Porto desta época chegar logo à sétima jornada, o embate desta tarde possui todos os condimentos necessários para aquecer o ambiente no Estádio da Luz. E se mais fosse preciso, o eventual vencedor salta para a liderança do campeonato.

Ao contrário do que tem acontecido nos últimos anos, desta vez são os dragões que entram à frente das águias na tabela (não sucedia desde 2010/11), embora não liderem a Liga, num estádio onde estão habituados a conseguir bons resultados. Consultados os registos históricos, a vitória da temporada passada, que abriu caminho ao título azul e branco, tornou o F. C. Porto o clube com mais vitórias fora sobre o Benfica (16 contra 15 do Sporting) e o único em Portugal com registo positivo nas deslocação ao reduto das águias - em 84 partidas do campeonato, soma ainda 26 empates, o que significa que não perdeu 50% dos jogos como visitante.

É a utilização desse "salão de festas", expressão que os adeptos portistas passaram a utilizar para descrever o Estádio da Luz, que o Benfica quererá evitar a todo o custo. Em especial, Rui Vitória, que nunca ganhou ao F. C. Porto desde que é treinador da equipa lisboeta: em seis clássicos com o rival da Invicta, o técnico ribatejano empatou três e perdeu outros três, sendo que duas dessas derrotas foram em casa.

Separadas por um ponto na classificação, mas ainda com 27 jornadas por disputar depois do jogo de hoje, as duas equipas não o encaram como decisivo, conforme foi dito ontem pelos treinadores. Ambas vêm de bons resultados na Liga dos Campeões e ambas têm baixas a lamentar, em setores diferentes do terreno. Para Vitória, os problemas maiores residem no eixo da defesa, pois não pode contar com dois centrais (Jardel está lesionado e Conti castigado, o que deve abrir caminho a uma dupla formada por Rúben Dias e Lema), enquanto Sérgio Conceição terá de lidar com a ausência de Aboubakar, tendo ficado no sábado sem outra solução para o ataque, pois Hernâni também se lesionou (rotura nos adutores).

Apesar de já poder utilizar Soares, que ficou de fora na partida com o Galatasaray por não estar inscrito na Champions, não é certo que o técnico portista o vá fazer hoje. Essa é mesmo a grande dúvida no onze do F. C. Porto: jogará o brasileiro ao lado de Marega no ataque ou o maliano alinhará como único avançado?

Em 84 jogos do campeonato entre Benfica e F. C. Porto, em Lisboa, houve 42 vitórias das águias, 16 dos dragões e 26 empates.

O Benfica não ganha em casa ao F. C. Porto desde a época 2013/14, a primeira do ciclo de títulos travado em 2017/18.

15 jogos no novo Estádio da Luz, registando-se seis vitórias do F. C. Porto, três do Benfica e ainda seis empates.

Jonas é exceção: No Benfica, só Jonas já marcou ao F. C. Porto em duelos da Liga. Pizzi fez três golos num jogo no Dragão, mas estava no Paços de Ferreira.

Trio a marcar: O lateral uruguaio é também um dos jogadores do plantel portista que já marcaram no clássico. Os outros são Herrera e Aboubakar.

O eterno Maxi: O jogador é o único que estará este domingo em ação com passado nos dois rivais. Joga no F. C. Porto desde 2015, depois de oito épocas no Benfica.

Fonte: jn.pt

Partilhe nas redes sociais:

Comentários - 0