Crato passa aos quadros mais 1.453 professores

27 de Fevereiro de 2015 20:12

2 0

No total, o ministro da Educação já passou aos quadros 4.175 professores. É o ministro que mais vinculou professores, pelo menos nos últimos dez anos.

São 1.453 os professores que vão entrar nos quadros com a norma-travão, que é aplicada pela primeira vez. Trata-se da nova regra que impede que todos os professores contratados com cinco contratos anuais, sucessivos e completos no mesmo grupo de recrutamento, continuem fora dos quadros da Função Pública.

Contas feitas, desde o início do mandato Nuno Crato passou aos quadros 4.175 professores. É o ministro que mais vinculou professores, pelo menos, nos últimos dez anos. Mas estas entradas não implicam, porém, um aumento do número de professores. Entre rescisões de mútuo acordo, redução de contratados e aposentações existem hoje menos 20% de professores do que em 2011.

Mas aos 1.453 professores ainda se vão somar os docentes de Inglês do 1º ciclo que vão entrar nos quadros. A disciplina arranca no próximo ano lectivo para o 3º ano e em 2016/17 no 4º ano. A portaria com as vagas para estes professores será publicada ainda hoje, diz o Ministério da Educação (MEC).

Além destas vinculações, na próxima semana vai arrancar o concurso interno extraordinário. Trata-se do concurso nacional de professor dos quadros que se realiza de quatro em quatro anos e que permite a mobilidade de escola. O próximo estava previsto apenas para 2017.

Mas a este concurso vão apenas concorrer os 2.084 professores que entraram nos quadros através dos concursos extraordinárias em 2014 para que fiquem vinculados a um dos dez quadros de zona pedagógica. Segundo a FNE, os resultados deste concurso serão conhecidos no final de Junho, com efeitos a partir de 1 de Setembro.

Os 1.453 que vão passar aos quadros pela norma-travão vão vincular no último agrupamento ou escola onde estão a dar aulas.

Em ano de eleições, a antecipação dos concursos "em dois meses em relação aos anos anteriores" vem "reiterar o compromisso de colocar todos os professores necessários às escolas antes do arranque do ano lectivo", diz o MEC.

Além do concurso interno, também o concurso anual para os contratados e a Bolsa de Contratação de Escola (BCE) - sistema que arrancou em 2014 e que esteve na origem de muitos dos problemas verificados nas colocações - vão ser antecipados. Segundo a FNE, estes concursos arrancam em Julho e os resultados serão divulgados antes do início do próximo ano lectivo.

Fonte: economico.sapo.pt

Para página da categoria

Loading...