Militar deserta da Força Aérea para combater Estado Islâmico

28 de Fevereiro de 2015 0:00

3 0

Militar deserta da Força Aérea para combater Estado Islâmico

Aquando do ataque ao jornal satírico francês "Charlie Hebdo", o militar teve também diversas manifestações de revolta contra os islamitas e ameaçou que "um dia os matava a todos", contou um colega ao JN.

Mário Nunes, de 21 anos, deveria ter-se apresentado ao serviço, na Messe da BA 11, no sábado, dia 14, depois de um período de férias, mas tal não aconteceu. Todos os contactos feitos para o telemóvel, a fim de o tentar localizar, foram infrutíferos. Só dois dias depois e após acederem à página do militar perceberam que este tinha deixado a FAP e ingressado no YPG.

O JN sabe que o caso está a ser tratado pelo general José Pinheiro, chefe do Estado-Maior da Força Aérea, e aos militares da BA11 já foi pedida a "máxima discrição" nos comentários sobre o assunto.

Aos colegas da tropa, Mário Nunes disse que ia de férias para a Alemanha, enquanto à avó materna afirmou ir para Sagres, onde estava a mãe, mas nunca mais ninguém, militares, família e amigos, lhe soube do rasto.

No dia 10 de fevereiro, Mário partilhou que deixara a Força Aérea e que ingressara como soldado do YPG, inserindo algumas fotografias de homens armados empunhando a bandeira amarela da organização.

Fonte: jn.pt

Para página da categoria

Loading...