Presidente do Sudão do Sul pede o fim das atrocidades tribais

26 de Dezembro de 2013 10:35

21 0

Presidente do Sudão do Sul pede o fim das atrocidades tribais

Conselho de Segurança da ONU aprovou planos para dobrar forças de paz. Europa envia representante para negociar paz no país em crise.

O presidente do Sudão do Sul, Salva Kiir, pediu o fim dos assassinatos e das desumanas atrocidades tribais na quarta-feira, enquanto as tropas do governo entraram em confronto com rebeldes leais ao seu antigo vice-presidente, em uma região produtora de petróleo do país.

As potências ocidentais temem que a violência saia do controle e leve a uma guerra civil separatista entre etnias do mais novo país do mundo, e o Conselho de Segurança da ONU concordou na terça-feira em praticamente dobrar o número de tropas de paz na região.

"Pessoas inocentes foram brutalmente assassinadas. As pessoas estão atacando os outros devido à sua filiação tribal, e isso é inaceitável", disse Kiir, de acordo com uma conta oficial do governo do Sudão do Sul no Twitter.

"Essas atrocidades recorrentes precisam cessar imediatamente", acrescentou Kiir.

A violência explodiu na capital, Juba, no dia 15 de dezembro e se espalhou rapidamente, dividindo o país sem litoral e de 10.8 milhões de habitantes, entre as etnias Nuer e Dinka.

As potências ocidentais e os países do leste africano, ansiosos em evitar mais caos em uma região frágil, tentaram mediar entre Kiir, que é da etnia Dinka, e Riek Machar, um Nuer e líder dos rebeldes, que foi vice-presidente do país até Kiir demiti-lo, em julho.

União Europeia

A diretora de política exterior da União Europeia Catherine Ashton está enviando um emissário para ajudar a encontrar uma solução política para a disputa étnica no país e para reforçar os laços com países vizinhos, disse a Comissão Europeia nesta quarta-feira (25).

"É essencial que todos os líderes políticos se comprometam imediatamente com um diálogo político para resolver suas diferenças", disse Maja Kocijancic, porta-voz de Ashton.

Em comunicado, ela disse que Ashton pediu que o representante especial da União Europeia Alex Rondos vá até a região imediatamente para melhorar relações com países preocupados e organizações locais.

O Conselho de Segurança das Nações Unidas na terça-feira aprovou planos para quase dobrar o número de pessoas de forças de paz no Sudão do Sul, em resposta ao receio de que o conflito local se agrave.

Fonte: g1.globo.com

Para página da categoria

Loading...