Royal Mail anuncia mais lucros após privatização

27 de Novembro de 2013 9:31

18 0

Royal Mail anuncia mais lucros após privatização

A empresa de serviços postais britânica Royal Mail apresentou hoje os primeiros resultados financeiros após a privatização em outubro, tendo registado um crescimento nos lucros no primeiro semestre do ano fiscal.

Segundo a empresa, os lucros operacionais quase duplicaram para 283 milhões de libras (337,6 milhões de euros) entre abril e setembro, contra 144 milhões de libras (172 milhões de euros) no mesmo período de 2012.

O bom desempenho é atribuído ao programa de restruturação de empresa, que tem vindo a ajustar horários e métodos de trabalho, reduzindo custos com mão-de-obra e investindo mais no negócio de transporte de encomendas, que já representa metade das receitas, para compensar a redução do número de cartas.

O anúncio de resultados acontece no mesmo dia em que o ministro da Economia, Vince Cable, será interrogado pela comissão parlamentar para a Economia, Inovação e Conhecimento, na qual deverá ser questionado pelos deputados sobre o alegado sucesso da privatização de 60% do capital no mês passado.

Colocadas à venda a 3,3 libras (3,94 euros) a unidade, as ações da companhia valorizaram no primeiro dia 38% e chegaram depois perto das seis libras, tendo entretanto recuado para um valor que ronda as 5,34 libras.

Na semana passada, responsáveis de alguns dos bancos que assessoraram a privatização, incluindo o Goldman Sachs e o UBS, foram questionados por uma comissão parlamentar sobre a alegada subavaliação da empresa, prejudicando os contribuintes.

Porém, estes defenderam-se, alegando que um preço mais elevado poderia desencorajar muitos investidores a longo prazo, tendo em conta a dimensão da operação.

«O atual preço não reflete o valor pelo qual poderíamos ter vendido 600 milhões de ações», vincou James Robertson, diretor do UBS, banco que entretanto aconselhou os seus clientes a vender as ações do Royal Mail devido às interrogações sobre o futuro da empresa.

Entretanto, o principal sindicato representativo dos trabalhadores dos correios adiou para o início de dezembro a decisão sobre uma greve em protesto contra as propostas de salários e condições de trabalho.

Fonte: dinheirodigital.sapo.pt

Para página da categoria

Loading...