Receba atualizações de notícias ao minuto sobre os temas mais quentes com a NewsHub. Instale já.

PEV ataca obsessão do Governo com défice e intransigência com professores

16 de Dezembro de 2018 1:47
79 0

A deputada dos Verdes Heloísa Apolónia criticou hoje o Governo por ter "uma obsessão" com a redução do défice orçamental e de intransigência nas negociações, nomeadamente com os professores.

No debate quinzenal com o primeiro-ministro, na Assembleia da República, em Lisboa, Heloísa Apolónia confrontou António Costa com a falta de investimento público e deu como exemplo a falta de barcos na travessia Lisboa-Seixal, no rio Tejo.

"Em matéria de défice, o Governo é mais papista do que o papa", afirmou, culpando também a influência do ministro das Finanças, Mário Centeno, que nesse momento regressava à bancada do executivo.

"Os passageiros vão continuar a atirar-se para dentro dos barcos sobrelotados como hoje", questionou a deputada dos Verdes, referindo-se às notícias dos problemas com passageiros, de manhã, no terminal do Seixal, devido à falta de navios.

E quanto aos professores, Heloísa Apolónia desafiou Costa a dizer que "não é justa" a reivindicação dos professores de contagem do "tempo total" de congelamento para a progressão nas carreiras, como defendem os sindicatos.

O primeiro-ministro, de facto, não o disse, mas alegou, uma vez mais: "Não conseguimos fazer tudo para todos ao mesmo tempo."

Em vez de "uma obsessão", admitiu ter "uma determinação" em cumprir as metas do défice, apesar de o executivo, com o apoio das bancadas do PCP, BE e PEV, ter conseguido repor direitos e rendimentos.

"Há um limite e não podemos ir além do limite, sob pena de que PSD e CDS se fiquem a rir de nós", disse Costa, provocando alguns risos nas bancadas à direita.

Fonte: rtp.pt

Partilhe nas redes sociais:

Comentários - 0