Receba atualizações de notícias ao minuto sobre os temas mais quentes com a NewsHub. Instale já.

Portas pede aos eleitores que "deixem de ter medo" do voto útil

12 de Março de 2016 14:01
4 0
Portas pede aos eleitores que "deixem de ter medo" do voto útil

Na sua despedida como presidente, perante o 26.º Congresso, Paulo Portas lembrou que o "que conta não é o partido que fica em primeiro lugar, mas quantos deputados somam os partidos que podem formar maioria"

O líder do CDS-PP apelou este sábado aos eleitores que preferem o CDS, mas que costumam votar útil no PSD, que deixem de ter medo de votar “na sua primeira escolha” porque o sistema partidário mudou desde as últimas legislativas.

Depois de ter deixado um agradecimento ao líder do PSD, Pedro Passos Coelho, e ex-parceiro da coligação, Paulo Portas não hesitou no seu discurso perante o 26.º Congresso do CDS-PP que decorre em Gondomar, e que marcará a sua saída do partido, em apelar ao voto dos que tradicionalmente escolhem o PSD nas urnas.

Paulo Portas recordou que o atual primeiro-ministro, o socialista António Costa, não venceu as eleições legislativas de 04 de outubro.

Para Paulo Portas, “não é de excluir que a ‘geringonça’ venha a ser vítima da sua própria medicina”.

“É a vida, o sistema partidário mudou para sempre com esta inédita experiência, da era do voto útil no PSD, à era do CDS como o partido cujo voto conta e muito, eis uma grande e assinalável diferença”, defendeu.

Durante a sua intervenção, o líder cessante do CDS-PP, Paulo Portas, referiu-se à "transição ordenada" para Assunção Cristas e defendeu que existe uma "pax centrista que é invejável", recomendando que não percam demasiado tempo a discutir lugares.

, afirmou Paulo Portas, numa referência a Nuno Melo, que não se candidatou à liderança, à qual Assunção Cristas se apresenta como única candidata.

Na sua despedida da liderança, perante o 26.º Congresso, Paulo Portas, 53 anos, afirmou: "Respira-se uma espécie de ‘pax' centrista, que é invejável, garanto-vos".

Num clima de "unidade sem unicidade", afirmou, usando as palavras de Adelino Amaro da Costa, Paulo Portas assegurou que abandona a liderança para ser um militante de base.

"A partir de amanhã eu serei apenas um de vós e esse sentido de pertença é uma grande honra", declarou logo no início da sua intervenção perante o Congresso, reunido no Pavilhão Multiusos de Gondomar.

A intervenção de Portas foi antecedida por um filme de agradecimento, com imagens de momentos significativos do percurso de Portas desde que foi eleito presidente dos centristas no Congresso de Braga, em 1998.

Fonte: tvi24.iol.pt

Partilhe nas redes sociais:

Comentários - 0