Receba atualizações de notícias ao minuto sobre os temas mais quentes com a NewsHub. Instale já.

PSI20 segue em ligeira alta com BCP a puxar por ganhos ao subir quase 2%

17 de Setembro de 2018 8:57
17 0

A bolsa de Lisboa segue hoje em ligeira alta, invertendo a tendência da abertura, numa Europa mista, com as ações do BCP a valorizarem-se e a puxarem pelos ganhos.

Pelas 08:55 (hora de Lisboa), o índice português de referência, o PSI20, seguia a avançar 0,13% para 5.292,20 pontos, com nove ações negativas, duas inalteradas e sete positivas.

O BCP e os CTT eram as que mais subiam, avançando 1,73% e 0,67% para 0,2408 e 3,322 euros, respetivamente.

A Jerónimo Martins avançava 0,50% para 12,955 euros e a EDP subia 0,15% para 3,25 euros.

Pela negativa, seguiam a Navigator e a Corticeira Amorim, com desvalorizações de 1,32% e 0,89% para 4,20 euros e 11,12 euros.

As principais bolsas europeias estavam hoje mistas, com os investidores cautelosos e pendentes da evolução das tensões comerciais entre os Estados Unidos e a China.

Os investidores estão preocupados face a uma evolução negativa das tensões comerciais entre Washington e Pequim porque se espera que o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anuncie hoje novas taxas aduaneiras sobre as importações de produtos chineses no valor de cerca de 200.000 milhões de dólares.

Além das tensões comerciais, os investidores estão pendentes de outros anúncios como a publicação da taxa de inflação harmonizada na União Europeia (UE).

A Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Económico (OCDE) publica hoje as estatísticas sobre o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) no G20.

A nível cambial, o euro abriu em baixa no mercado de divisas de Frankfurt, a cotar-se a 1,1638 dólares, contra 1,1666 dólares na sexta-feira.

O barril de petróleo Brent para entrega em novembro abriu hoje em baixa, a cotar-se a 78,03 dólares no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, menos 0,07% do que no encerramento da sessão anterior.

Fonte: ojogo.pt

Partilhe nas redes sociais:

Comentários - 0